6.11.09

Jogo dos 7 Erros


Na verdade, não são sete erros. Mas só porque a manchete é curta. Em um reduzido número de palavras, o Correio do Povo consegue chamar de "Plano do Estado" um projeto do governo. Depois, afirma categoricamente que o tal plano (projeto, na verdade) "reajusta salário e valoriza (o) servidor", quando o projeto propõe (já que é um projeto ainda) o aumento de salário de apenas duas categorias, e não de todo o funcionalismo, como a manchete dá a entender. Duas categorias que não se sentiram tão valorizadas assim, principalmente pelo fato de o tal projeto conter um nebuloso décimo-quarto salário para quem cumprir metas (que não se sabe quais são) ou for produtivo (na opinião de não se sabe quem).
Nem estou dizendo que o projeto é ruim. O que estou dizendo é que a manchete é pavorosa como jornalismo e primorosa como assessoria de imprensa do governo.

Fonte: Blog do Kayser

2 comentários:

otário disse...

Será que teremos que conviver com uma nova assessoria de imprensa no Palhaço Pira Tini? Já não basta o panfleto disfarçado de jornal denominado ZH?
Daí me resta uma pergunta ao grupo Record, lembrando uma música dos Engenheiros do Hawaii: "Tchê, de que lado tu estás?/ Ninguém pode ficar dos dois lados"

LEANDRO disse...

Vamos deixar bem claro que não são duas categorias do funcionalismo contempladas, e sim uma pequena parte de cada uma dessas duas, quais sejam professores e policiais militares em início de carreira. Para os demais, com exceção dos que ganham mais (castas privilegiadas), o governo está "se lixando"!